Agora é FUZARCA!


Foram quase 20 anos produzindo boa parte do conteúdo do CASACA. Colunas dominicais ou nem sempre,  notas, comentários, participação em programas de rádio. Mais tarde, conteúdo para Facebook e depois Twitter. Não me arrependo de uma linha. Aliás, sigo afirmando que Eurico Miranda é disparado o mais importante dirigente da História do Vasco. Fácil.

Dito isso, o que resume em um parágrafo a minha passagem pela política do clube, a nota publicada pelo FUZARCA!, grupo ao qual me integro agora, informa os demais motivos de seu surgimento. Pessoalmente, espero apenas que o vasto conteúdo que produzi não seja motivação para que o antigo grupo me cite. Quem tomou minhas senhas da noite para o dia só tem um caminho para se referir a mim – usar fakes para ofensas, enquanto tira fotos no espelho da academia. O resto é mediocridade caudilhesca.

Este novo caminho conta com poucas novas ambições. Hoje, há um grupo de conselheiros e beneméritos vinculados ao FUZARCA. Neste sentido, há conversas políticas normais com vários atores. Até aqui, sem discussão alguma quanto a participações e apoios. Apenas uma intenção manifesta:  o investimento massivo nas divisões de base do clube, único atalho possível para resolver os  seus problemas. Fora isso, basta manter o impositivo, como, por exemplo, fechar os diversos ralos das lambices promovidas.

Outra motivação para este novo caminho é o afastamento de determinadas figuras que jamais compuseram o grupo que participei e jamais comporão. Onde alguns caras estiverem presentes, aliás, estou do outro lado. Porém, essa gente, sempre que fazia merda, era vinculada a nós. Confortável escudo. Isso acaba. Lógico que não é negar o passado. Orgulhosamente o passado está lá. Mas só o que faz parte dele. O que nunca fez, sem chance.

Por fim, o que existe de atualização relevante. Votamos por eleição direta. Votamos por reforma estatutária, mantidos os direitos politicos atuais para o ano que se inicia. Votamos por pente fino em anistias e associações. Parece-me que há algo comum entre aqueles que compõem no momento o quadro político do Vasco (lógico, refiro -me aos de boa intenção): o desejo de se realizar um processo eleitoral sem judicializações que o tornem infinito. Soluções internas e maduras são o primeiro passo para se liquidar  com os flancos para oportunismo, seja o de grande porte, que morde o clube com gosto, seja o de galinheiro, onde se come farelo de milho. Que ao menos este passo saibamos dar.

Abraço

João Carlos Nóbrega

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *