De EuricoMiranda@fuzarca.com.br para Campello@vascodagama.com


Car@ presidente,

Por aqui vai tudo bem, melhor do que eu pensava. Ainda não me acostumei com as asas e a auréola, mas o Cyro disse que é questão de tempo. De vez em quando, cruzo com o Fidel nas filas de elevador e troco uns charutos. Aconteceu o que eu já sabia: os meus cubanos são melhores do que os dele. Outro dia, enquanto eu estava numa das filas do elevador pra subir, encontrei o Escobar na fila de elevador de descida. Ele me fez umas ameaças, mas só soltei umas baforadas. Traficante bunda-mole. Aqui tem coca zero e como bebo isso desde a minha última encarnação, estou feliz.

Entro em contato para te fazer umas observações. Mas, antes, gostaria de te informar que continuo frequentando a sala da presidência. Aliás, passo os dias lá, o que me permite ser testemunha de algumas coisas. Lógico, você não consegue me ver, procuro ser discreto.

Você sabe que eu preservo a instituição acima de tudo. Fiz força para aprovar contas da época do Dinamite sem que tivessem a menor condição. No último ano de mandato dele, nem contas foram prestadas e deixei passar para não expor o Vasco.

Como sou onipresente no Vasco, estava em sua sala quando você e o Cardeal Richelieu chamaram o Nóbrega para uma conversa. É verdade: em 2014 o convidei para presidir o Conselho Fiscal do Vasco. Parece que ele tinha assumido um cargo público e declinou temendo que isso fosse usado contra mim. Um excesso de preservação que me custou o Otto.

Nesse dia, ele declinou também de um convite que você e o Cardeal fizeram, mas dessa vez parece que não tinha motivo particular. Ele apenas não quis que fosse confundido o apoio institucional que o Fuzarca então prestava com necessidade de ocupação de espaços. Pareceu justo.

Lembro a você que na mesma ocasião ele te disse mais duas coisas importantes: a primeira é que para formar base de sustentação política não adiantava procurá-lo, mas sim aos caras que se julgam influentes no Vasco. Humildade desnecessária, sempre disse isso a ele. O outro ponto foi para que você e o Cardeal não entrassem em confronto com o Conselho Fiscal porque dali poderiam vir problemas. Que então mostrasse tudo o que era pedido.

Chegamos, então, onde eu queria, doutor. O Parecer do Conselho Fiscal referente às contas de 2018 cita uma série de documentos que o senhor não apresentou. Documentos não apresentados configuram inadimplência. Logo, o senhor pode sim ser enquadrado pela Lei Pelé.

Confesso que fiz de tudo para livrar a sua barra como livrei a do Dinamite. Tentei conversar com o Rafael Landa nas sessões espíritas que ele frequenta quase todas as noites, mas não obtive sucesso. E os meninos, então, resolveram votar tecnicamente.

Ontem, vi uma entrevista que você concedeu dizendo que o Landa é simpatizante do grupo do Roberto Monteiro. Uma baboseira, partindo de quem já foi do grupo do Monteiro, o teve na administração, já fez aliança com o menino do Olavo que eu esqueci o nome, aquele que sentou na cadeira antes da hora e agora está precisando de uma ajuda minha aqui para evitarmos mais um escândalo no Vasco (estou conversando com uns ministros do TCU que já desembarcaram). Você já fez de tudo pelo poder sem apanhar metade do que os garotos do Fuzarca apanharam.

Pensa bem, rapaz. Merdas cagadas não voltam ao cu. Esses caras do Fuzarca passaram quase 20 anos sendo leais a mim durante todo o linchamento que sofri e nunca me renegaram. Quero dizer que, se fosse para ter alguma parceria em vista com o tal Identidade Vasco, eles teriam, sem problema. Os caras não estão nem aí para rótulos. Até parceria com você se dispuseram a ter sem te cobrar nada. Tudo em nome do Vasco.

Portanto, para se defender dos teus erros e inadimplências, corroboradas pelo Cardeal Richelieu que hoje está lá dando cartas pro Jorge, não vai adiantar criar sofismas a respeito de quem navega em mares tranquilos do ódio disseminado. Os rapazes do Fuzarca conversam com você, com a turma do menino do Olavo, com o Jorge, com o Siano em nome de um clima mais ameno no Vasco. Mas tomam chopp com os caras do IV porque são bem mais palatáveis que a turma do clube de golfe que eu afastei do Vasco. Com exceção do Nóbrega, que é um homem das cavernas, muito mais radical do que eu fui. Mas a culpa é minha com esse daí.

Espero que você arrume um jeito de entregar a lista de documentos faltantes nas contas de 2018 para se tornar adimplente e poder concorrer nas próximas eleições. Vou fazer questão de estar no ginásio observando de fora a bagunça. Aliás, confesso que tenho achado divertido o movimento incessante de tribunais, mesmo sem a minha presença. Só que, mais engraçado ainda, é a turma toda, aqueles que me ajudavam, aqueles que me bajulavam e aqueles que me odiavam, não saberem aonde ir agora. Tenho me divertido tanto com isso que estão querendo me punir com uns dias de purgatório, mas eu já recorri ao STJD.

Att,

Eurico Miranda

++++++++++++++++++++++++++

Nota: Esse texto, em seu formato, é uma homenagem ao cronista Elio Gaspari. De vez em quando o Gaspari usa o formato de forma genial, divertida, o que, evidentemente, não consegui reproduzir nem de perto aqui. Fica explicado para os haters, assim, o uso do estilo.

João Carlos Nóbrega

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *