Tricô Inconfessável


O blogueiro,  youtuber e analista técnico de futebol conhecido por João Almirante, hoje colunista contratado pelo GloboEsporte.com, se pronunciou em rede social conforme destacado abaixo:


Além da lamúria vitimista típica do meio, que derrete em lagrimetas por críticas provenientes daqueles que integram o seu mesmo espectro político, o blogueiro prestou uma valiosa informação. Destaque-se:

“Curioso que parta inclusive de gente que tentou comprar meu posicionamento”.

Normalmente, eu ignoraria tal comentário porque ele não está contando nenhuma novidade: blogueiros até podem se vender.

Ocorre que o filho do Mussa, também conhecido como filho do Mussa, resolveu tricotar com o blogueiro/youtuber e citou meu nome. Acabei tomando conhecimento do sugestivo diálogo. E notei que o filho do Mussa, também conhecido como filho do Mussa, nem reparou que mergulhou numa carapuça com volúpia. Respondeu assim, na mesma rede social:


Destaque da carapuça enterrada até os ombrinhos:

“Tem nada de amarelo nisso”.

Trocando em miúdos: o blogueiro reclama das críticas e fala em tentativa de compra de opinião. Então, o filho do Mussa, também conhecido como filho do Mussa, deduz que o blogueiro estava falando de amarelos, inclusive ao abordar a tal tentativa de suborno.

Seria trágico, se não fosse cômico. 

Parêntese. Esclareço ao filho do Mussa, também conhecido como filho do Mussa, que sim, fui um dos grandes responsáveis pelo grupo conhecido como Casaca. Não sou mais. Hoje integro outro grupo, o Fuzarca. Mas é certo que não foi por mudança de ideias. Sigo do lado oposto a gente como o Mussa. Onde tipos como esse estiverem, estou do outro lado.

Por fim, constato que o mundo anda meio assim: se é possível comprar licitação em empresa pública como a Casa da Moeda, como não seria adquirir opiniões convenientes?

Sorte nossa que neste caso parece que a corrupção não se consumou. Ufa!

João Carlos Nóbrega

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *